História de um diabético

Eu vou contar a história do seu João, um homem de 63 anos. Ele é casado com a dona Raquel, tem 2 filhas (Marina e Letícia) e um neto (Joãozinho).

Seu João estava acima do peso há bastante tempo, mas sempre achou que tinha uma boa saúde e não se preocupava em ir ao médico. Seu pai tinha diabetes, pressão alta e infartou aos 53 anos. Sua mãe tinha obesidade, diabetes e faleceu por derrame.

Dona Raquel é uma mulher preocupada com a saúde, sempre faz consultas e exames de rotina. Inclusive já tentou várias vezes levar o marido para uma avaliação com uma médica de sua confiança, mas ele sempre arranjava uma desculpa e não ia.

Já era o início do mês de dezembro e a família estava ansiosa pelo reencontro, pois seu João, dona Raquel e Letícia não viam Marina e Joãozinho há vários meses, visto que eles moram fora do país. Os preparativos para as festas de fim de ano estavam a todo vapor!

Em meados de dezembro, um acontecimento inesperado atrapalhou os planos da família, pois seu João teve um infarto e precisou ser internado. Durante a internação, seu João descobriu que tinha diabetes, mas ainda não sabia, pois não costumava fazer exames preventivos nem consultas médicas.

Seu João não pôde comparecer à ceia de Natal planejada pela família, pois ainda permanecia internado e dona Raquel fez companhia ao marido naquele momento. Felizmente, a evolução clínica de seu João foi satisfatória e ele teve alta no dia 26/12. Assim, a família conseguiu se reunir para a festa de réveillon na noite do dia 31/12, passaram ótimos momentos juntos, deram muitas risadas e, após perceber que a saúde e a família são bens insubstituíveis, seu João se comprometeu a começar a cuidar de verdade de sua saúde para poder usufruir desses momentos que valem a pena ao lado das pessoas que ele mais ama na vida.

Seu João teve alta do hospital usando insulina e alguns medicamentos orais. Esse tratamento exige uma monitorização dos níveis de açúcar no sangue e a forma escolhida pelo paciente foi o uso de um sensor colado em seu braço, que permite verificar seus valores sem a necessidade de ficar furando o dedo.🩸Além disso, seu João consegue ver as setas de tendência, que indicam se os níveis do açúcar estão diminuindo, aumentando ou estáveis.

Seu João estava programando tirar férias, mas estava inseguro como levaria sua insulina na viagem. Já que a sua consulta com a médica endocrinologista estava agendada para dali a 2 semanas, resolveu esperar, pois assim conseguiria tirar as suas dúvidas e poderia viajar com mais tranquilidade.

Dona Raquel já estava pesquisando quais lugares eles poderiam visitar e não conseguia conter a ansiedade e excitação pela viagem de férias. Para tentar amenizar um pouco dessa ansiedade, resolveu ir ao shopping, onde comprou um maiô e uma saída de praia! 🏖

Quando o marido viu que a mulher comprou roupas para usar na praia, percebeu que a discussão entre praia e campo já havia sido encerrada. 🤭 Sendo época de verão e calor, conformou-se em ir à praia, mas continuava preocupado com a conservação da sua insulina, que costuma guardar na geladeira.

O grande dia da consulta com endocrinologista chegou, seu João e dona Raquel já se arrumaram e chamaram um táxi para transportá-los até o consultório da médica. Como seria a primeira consulta, o casal se programou para chegar à clínica com muitos minutos de antecedência a fim de que houvesse tempo suficiente para o cadastro no prédio comercial e também para poder fornecer as informações pessoais necessárias à abertura de ficha no prontuário médico.

Posted by Dra. Mariana Reis Murin